30 de dez de 2010

Benito Maia Barros [21.04.57 - 26.12.10]














Eu quis lhe trazer uma canção que falasse de flores, aquelas espumas flores que avoam, nascidas nas águas de grau.
Como quando eu narrava a minha história de antes, pensar por muito tempo que aqueles tanques ferventes eram o mais fino encantamento da sua Macau.
E um Rio grande e Açu se formaram, no seu semblante, na vista da sua cara, na pista de sua casa...
Sabente eu era um tolo, vigiado no meu consolo, de te fazer abismar. Pra essas coisas que dá na gente, sabendo que ser perene, é a pretensão de ser mar. 














.36

Um comentário:

A Flor do Sul - Perah Hadarom disse...

A vida pretende ser um mar imenso.
As pessoas vivem em volta dele.
Ele ressoa em seus ouvidos.
Elas retornam ao aconchego de suas ondas.

Nem que seja só em coração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...